Forasteiro

É primavera, curam tristezas, tudo muda demais por aqui, Forasteiro, tua distancia, se eu sentisse, poderia mudar, mas não vou.
Por onde é que andarás, só me diga e eu prometo, esse rio descansará
Você frio, perto da noite, longe de mim e eu mal sei, onde estou, cruzei vilas, me perdi, além das ruas, nossa historia não mudou. E tanto eu tenho pra dizer, se eu só pudesse te olhar, e se tens em mim o teu revolver, hei de te próprio disparar
Por onde é que andaras?

Thiago Pethit

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s